O Menino Akin

Nesta obra, proponho uma releitura de uma das lendas do folclore brasileiro: O Negrinho do Pastoreio. Projeto pessoal de cenas folclóricas com aplicação conceitual em capa de livro.

Pastel oleoso sobre papel kraft

42 cm x 60 cm  

Negrinho do Pastoreio _2020 MENOR 2.jpg
Mockup.jpg
Mockup_livro fechado.jpg
Webp.net-gifmaker.gif

A RELEITURA

 

Os elementos essenciais foram mantidos: o menino negro, sobre o cavalo, segurando a vela acesa. Contudo, há algumas modificações da lenda original.

 

Primeiro, a presença de uma outra figura religiosa: em vez de Nossa Senhora, a orixá Oxum. Tal escolha se deve à representação simbólica da religiosidade afro-brasileira em detrimento da imagem originária da tradição euro-católica.

 

Em segundo lugar, ao fundo, a favela enquanto permanência histórica da subalternidade.  Além disso, o desconhecimento sobre o verdadeiro nome do personagem pode ser compreendido como um signo daquilo que Achille Mbembe denomina Necropolítica. Por essa razão, desejei encontrar o nome do protagonista da lenda e intitulei a obra "O menino Akin" (nome de origem iorubá-nigeriana que significa "valente, corajoso, herói".

Obrigada!